quinta-feira, 11 de novembro de 2010

Mestre Mano - Um Grito de Liberdade - Capoeira Angola Flor da Gente





Axé camaradas,
é com imenso prazer que voltar a disponibilizar mais um cd no nosso blog. É verdade, faz muito tempo que não temos novidades, me desculpem é que ando sem tempo. Sem contar que os cds que vocês estão pedindo estão cada vez mais difíceis de achar. No post de hoje vou disponibilizar o cd do Mestre Mano do Grupo Capoeira Angola Flor da Gente , chamado Um grito de Liberdade.




Como de praxe vamos conher um pou da história desse grupo e do Mestre Mano.

Escola de Capoeira Angoa Flor da Gente

"Havia em 1872 na Freguesia da Glória, que compreendia os atuais bairros Glória, Catete e Flamengo, uma malta de nome Flor da Gente. A sua função maior, naquela época era apoiar o partido conservador, tendo como seu patrono um parlamentar de nome Luis Joaquim Duque-Estrada Teixeira.

A Flor da Gente ganhou fama porque naquela freguesia vivia a maioria dos políticos e burgueses da época e essa malta apoiava os políticos, principalmente em épocas de eleições.

A Escola de Capoeira Angola Flor da Gente tem um objetivo bem diferente daquele de 1870. Sua finalidade reside na preservação e manutenção da Capoeira Angola enquanto forma de expressão e resistência. A ECAFG tem como seu maior objetivo mostrar aos leigos e capoeiristas mal informados que a Capoeira Angola não necessita de complementos. Ela por si só se basta.

Em 1970 com a vinda do Mestre Moraes para o Rio de Janeiro foi semeada a primeira leva de angoleiros. Nesta época, o grupo Senzala comandava a capoeira no Rio, principalmente na Zona Sul. Quando algum capoeirista regional ouvia falar de um angoleiro, a frase sempre usada era: "Se for angoleiro, eu piso na cabeça"! Era interessante essa postura. Hoje em dia o discurso mudou radicalmente, todas as academias de Capoeira Regional fazem também Angola - Com quem eles aprenderam? Como treinaram? O que vemos no Rio de Janeiro hoje, são cópias e não angoleiros originais - Pois os genuínos nós conhecemos, e são todos provenientes de uma só raiz - Pedro Moraes Trindade (Mestre Moraes).

Aquele que não saiu do Grupo de Capoeira Angola Mestre Moraes e mais tarde GCAP ( Grupo de Capoeira Angola Pelourinho), aqui no Rio de Janeiro, e também não treinou assiduamente com algum de seus alunos, não pode ser considerado um angoleiro genuíno e sim uma cópia, um clone, sem alma e sem sentido.

A Capoeira Angola é muito purista. Não se faz Capoeira Angola e Regional ao mesmo tempo e nem dá pra se misturar os dois estilos. O objetivo da ECAFG não é em momento algum comparar a Capoeira Angola com a Capoeira Regional, apenas tentamos mostrar que são duas coisas bem diferentes, e que não podem se confundir. Um bom angoleiro sabe que é impossível misturar os dois estilos. Não existe um angoleiro genuíno que diga que ensina Capoeira Angola e também a Capoeira Regional."

Mestre Mano

  • Antônio Lima de Freitas
  • Nascimento : 03/01/1956
  • Bacharel em Administração de Empresas - USU(Universidade Santa Úrsula) - Rio de Janeiro-RJ
  • Cursou até o terceiro ano de História - UNIANA(Universidade de Anápolis)-Goiás
  • Massagista, fotógrafo, corretor de imóveis, capoeirista
  • Começou seu aprendizado no Grupo de Capoeira Angola Mestre Moraes, na Escola de Belas Artes- Museu de Belas Artes, Centro do Rio de Janeiro, no ano de 1973, inicio da atividade do GCAM l Aluno mais antigo, de Mestre Moraes em atividade
  • Fundador, entre outros, do GCAP-Grupo de Capoeira Angola Pelourinho em 1980, neste mesmo ano é graduado à professor(cordel azul)
  • Residiu na cidade de Mendes-Estado do Rio de Janeiro(1983-1986)
  • Em 1984, recebe a corda de Contra Mestre( azul, amarela e verde) das mãos dos Mestres Neco e Braga
  • Se transfere para Pirenópolis-Goiás, continua ensinando capoeira, abre uma escola em Pirenópolis e outra em Anápolis
  • Reside em Pirenópolis durante 8 anos (1985-1993), deixa dois representantes: Em Pirenópolis o professor Piri (Vanuir) e em Anápolis o professor Tuísca (Carlos)
  • Recebe das mãos de Mestre Neco, então presidente do GCAP-RJ o diploma de Mestre, 1989
  • Volta para o Rio e permanece por 2 anos - Passa um período dando aulas na Nossa Escolinha, em Botafogo
  • Resolve morar em Caraíva, município de Porto Seguro - BA, faz um trabalho com capoeira mas não deixa representante (1995-1997)
  • Em março de 1997 retorna ao Rio com o intuito de implementar uma idéia, um centro de Capoeira Angola, onde pudesse ser aglutinado em um só lugar, os antigos discípulos de Mestre Moraes
  • 1997, se desliga definitivamente do GCAP é reconhecido por Mestre Braga como Mestre
  • Funda a Escola de Capoeira Angola Flor da Gente no dia 24 de abril de 1997
  • Com o seu novo grupo, reunindo o G/ECAAB (Grupo de Capoeira Angola Africa-Bantu) e o GCAN(Grupo de Capoeira Angola N`Golo), executa a sua idéia
  • Funda o CCARJ - Centro de Capoeira Angola do Rio de Janeiro. O CCARJ tem como representantes; Mestres Braga, Zé Carlos e Mano; C/Mestre Lumumba e Professor Pedro (Chopinho)
  • Administrador do CCARJ
Fonte: http://www.ccarj.com

Agora vamos ao cd:

Em breve cd feminino do Abadá Capoeira - Não percam!!!

2 comentários: